Pesquisar
logotipo-refh-transparente

Publicidade

[uam_ad id=”3500″]

Pilates e o efeito gota d’água

Colunista: Rodrigo Perfeito

Publicidade

Meus amigos, hoje venho trazer uma ideia que preconizo muito na hora de escolher os colaboradores da minha empresa e sugiro que faça o mesmo no seu estúdio de Pilates.

Trata-se de uma estratégia que visa a valorizar e atribuir função somente para os instrutores que tiverem cuidados e vontade de vencer semelhantes à sua, dono do estúdio de Pilates. Em outras palavras, estamos falando de uma concepção de pareamento de objetivos e ideias, facilitando, e muito, o alcançar dos objetivos presentes no empreendedorismo.

Efeito gota d’água

Sabemos que nosso mercado é extremamente difícil aqui no Brasil. Além da competitividade, temos diversos impostos empresariais que dificultam a sustentação de um negócio legalizado no Brasil. Nossos estúdios de Pilates não conseguem passar em branco nesse retrato negativo.

Portanto, não existe mágica. Nosso caminhar é longo, duro e precisa ser persistente. Dessa longa trajetória é que vem a ideia da gota d’água. Nossa meta é encher o balde. Porém, o mercado traz diversos empecilhos que atrapalham o encher desse balde com água abundante. O que nós temos são gotas. A cada mês temos que encher esse balde com uma gotinha de água.

Porém, temos algumas armadilhas de mercado que vão secar nossas gotinhas, ao invés de trazer novas gotas para ajudar a encher o balde. Veja como é diferente do: ”de grão em grão, a galinha enche o papo”. Uma vez conquistado o grão, a galinha come. Nossa gota, não é consumida de imediato. Ela precisa ser transformada em um balde cheio. Esse balde é passível também de secar. E cabe a nós, escolher nosso caminho empreendedor para que esse balde não seque.

Quem carrega seu próprio balde,
dá valor a cada gota.

Não vou entrar novamente em méritos de impostos e covardias governamentais, pois essa não é a proposta da matéria. Mas sim, te dar dicas de como se comportar nesse mercado de seca.

Um detalhe que o dono do estúdio irá perceber de cara, é que nenhum instrutor terá o mesmo carinho pelo estúdio que o próprio dono. A frase “quem carrega seu próprio balde dá valor a cada gota” seria uma frase que eu estamparia no meu estúdio nos dias atuais.

E dessa frase, vem a primeira estratégia: faça com que seu instrutor veja seu estúdio de Pilates como a segunda casa dele. Ele precisa sentir que faz parte da família, que cada pedacinho daquele estúdio foi pensando nele também, e não só no praticante.

Contrate apenas instrutores que consigam entender que não basta somente prescrever os exercícios no estúdio. Aquela é a casa dele. Ele precisa gostar tanto quanto você daquele negócio. Se ele se prende à ideia de que não vai cuidar de algo que não é dele, temos dois fracassos ocorrendo: o primeiro é seu, empreendedor. Você fracassou em escolher o profissional e de implementar a concepção de valorização. O segundo fracasso é do instrutor, que é tão pequeno como profissional, que terá o pensamento de que não irá cuidar de algo que não é dele, porém, seu salário advém daquilo.

Se isso está acontecendo no seu estúdio, verifique onde está o erro e resolva. Sem isso, seu estúdio não irá evoluir.

Contratando instrutores sedentos por baldes

Escolha muito bem quem irá lhe ajudar no desafio de empreender no Brasil. Contrate pessoas que tenham interesse em crescer o negócio junto contigo. A primeira meta é encher um balde. Mas esse é apenas o primeiro passo. É preciso partir para outros baldes e alcançar cada vez mais sucesso.

Seu instrutor tem interesse em segurar mais peso em suas mãos e ter mais água para beber ou se contenta em beber de gotas e passar sede ano após ano? Escolha alguém que queira crescer junto. Que vibre e busque sempre o auto crescimento e o do Estúdio. Se seu objetivo é “x”, não contrate alguém que pensa “y”.

 

Meus amigos, ficamos por aqui nessa nossa conversa que poderia durar 100 páginas. Mas como a ideia é apenas aguçar sua visão para o mercado, eu espero que nesses pequenos apontamentos, esteja presente também o despertar para um olhar mais malicioso por parte de alguém que escolheu ter um negócio próprio no ramo do Pilates.

Leia outros artigos

O que achou desse artigo?

Publicidade

Publicidade

Publicidade

REF&H
Enviar