logotipo-refh-transparente

Publicidade

[uam_ad id=”3500″]

Finanças para academias: indicadores de resultados – ticket médio

Colunista: Celso Cunha

Publicidade

Dando sequência à série “Finanças para Academias” com o objetivo de desmistificar o tema, já tivemos:
Aula 1: Custos e Despesas; Saídas de Caixa
Aula 2: Receitas Financeiras, Entradas de Caixa, Faturamento
Aula 3: Apurando Resultados; A Hora da Verdade
Aula 4: Precificação; Quanto Custa e Quanto Vale

Ao longo dos últimos doze anos, com a entrada no mercado das academias praticantes do low price/low cost ficou clara a necessidade da profissionalização do segmento fitness. O tema planejamento, gestão financeira e administrativa passou a ser constante entre os empreendedores do setor. Cursos de capacitação, mentorias e consultorias apareceram no radar dos desejos e aspirações dos investidores. Algumas unidades que obtiveram sucesso passaram a ser referência e exemplo para as outras. A recepcionista passou a ser consultora de vendas e a ser cobrada com metas mensais de conversão. O marketing passou a buscar os clientes nas mídias sociais e a retenção e fidelização estão a cargo de toda a equipe.

Perceba que não são os maiores ou os mais fortes que sobrevivem e sim os que melhor se adaptam às mudanças. Capacitar-se é fundamental para o sucesso do seu negócio.

O tema desse artigo é de extrema importância: “indicadores de resultados” são métricas ou números que ajudam você a monitorar a evolução da sua empresa em suas atividades. Representam o que foi apurado em períodos passados comparados ao período presente, antes mesmo do encerramento deste. Exemplo: matrículas, preços praticados, clientes ativos, posição no mercado, saída de funcionários, saldos diversos etc.

Desses indicadores, os mais relevantes para os gestores são: ticket médio, ponto de equilíbrio e margem de lucro sobre o faturamento. Então… bora lá!

Ticket Médio

É um indicador que aponta o preço médio das vendas de um empreendimento em um período, considerando o faturamento e o número de vendas realizadas. Considera-se o preço negociado das mensalidades com o cliente dividido pela quantidade de clientes.

O Débito Recorrente (DCC) é o modelo ou plano cujo valor acordado através do contrato é lançado no cartão do cliente independentemente da presença física dele, e que na prática, dobra seu período de permanência em nossa lista de clientes ativos. Se por ventura ele se ausentar por qualquer que seja o motivo, o lançamento será efetuado, gerando mais receita para a empresa.

É normal existir diferença de preços em relação às campanhas, atividades, períodos e formas de pagamento, como no exemplo abaixo:

  • Mensalidade: R$139,00
  • Trimestre: R$129,00
  • Semestre: R$119,00
  • Anuidade: R$109,00
  • DCC: R$99,00

A quantidade de alunos/clientes que optaram pelo plano mensal multiplicado pelo preço pago, somado à quantidade de alunos/clientes que optaram pelo plano trimestral multiplicado pelo preço e dividido por três (já que estamos analisando o período mensal) e assim sucessivamente nos demais períodos. Parece confuso o conceito, mas, é simples na prática e todos os sistemas de acesso biométrico que conheço apresentam esses importantes orientadores numéricos:

Continuando com o exemplo acima:

  • 200 clientes no plano mensal a R$139,00
  • 100 clientes no plano trimestral a R$129,00
  • 50 clientes no plano semestral a R$119,00
  • 25 clientes no plano anual a R$109,00
  • 150 clientes no DCC a R$99,00

Equação:

Ticket Médio = (200 x R$139,00) + (100 x R$129,00) + (50 x R$119,00) + (25 x R$109,00) + (150 x R$99,00) / 525 = R$64.225,00 / 525 = R$122,33

Você pode estar perguntando:

“Professor, as taxas de adesão (matrícula), avaliação físico-funcional, multas por atraso, aluguel da lojinha…. não entram nessa conta?”

NÃO!

Os valores apurados com essas cobranças lhe darão flexibilidade nas negociações e comporão seu caixa em relação aos inadimplentes.

Este importante indicador nos será útil para projeções de caixa, planejamentos diversos, composições de campanhas e, em consonância com o ponto de equilíbrio (outro indicador tema do nosso próximo artigo), será nossa bússola orientadora nessa “aventura” que é empreender.

Até a próxima!

Bons negócios e boa sorte!


Leia outros artigos

O que achou desse artigo?

Publicidade

Publicidade

Publicidade

REF&H
Enviar